ICE CANYON INVESTIU 11 MILHÕES USD NA EMATUM

A sessão realizada na última terça-feira teve como testemunhas Aneesh Partap, antigo funcionário da Ice Canyon (fundo de investimentos dos EUA) e –  Cicely Leemhuis, Diretora adjunta do departamento jurídico da VTB.

VBT FINALMENTE IMPLICADA

As testemunhas arroladas esta terça-feira começaram a implicar o VTB mostrando evidências do seu envolvimento no endividamento ilegal de Moçambique através das empresas EMATUM, MAM e Proindicus.

A directora adjunta do departamento jurídico do VTB detalhou o envolvimento daquela instituição financeira nos processos de endividamento das três empresas, referindo que ela própria trabalhou nos contratos da Proinducus e MAM e outros colaboradores do VBT trabalharam no empréstimo da EMATUM.

Segundo ela, o financiamento da Proindicus era, inicialmente de 372 milhões de dólares norte-americanos (USD), um valor que aumentou para 622 milhões USD, tendo o VBT contribuido para esse aumento com cerca de 118 milhões USD. Leemhuis referiu que chegou a comunicar com dois colaboradores do VBT, Hamen Aguemon e Makram Aboud, bem como com Andrew Pearse e Detelina Subeva.

Este depoimento é importante porque mostra que o VBT (75% propriedade do governo da Rússia) teve um papel importante no endividamento ilegal das três empresas. Durante muito tempo não se apresentaram evidências do envolvimento do VTB no endividamento, uma situação que pode ter levado o Governo moçambicano a continuar a negociação da dívida e tendo avançado para a inauguração da base naval da MAM e para a negociação da garantia soberana da MAM com a VTB, ainda que a empresa esteja mergulhada neste escândalo de corrupção.

Num depoimento havido no 12º dia, a testemunha arrolada, disse que o VTB agora tem conhecimento de que pagamentos foram feitos à Andrew Pearse e que aquela instituição financeira, raramente usa consultores externos para facilitar as transacções.

Assim, declarou que o VTB emprestou 118 milhões USD à Proindicus, 500 milhões à MAM. Ele referiu ter transferido 100 milhões USD, através da Deutsche Bank Nova York da Credit Suisse tendo a Privinvest como beneficiária. Através do mesmo banco, foram transferidas centenas de o empréstimo da MAM.

 

ICE CANYON INVESTIU 11 MILHÕES USD NA EMATUM.

Aneesh Partap, no seu depoimento referiu, sem avançar as datas, que o Credit Suisse e o BPN Paribas ofereceram oportunidade de investimento da EMATUM à Ice Canyon, um fundo de investimentos dos EUA.

Segundo Partap explicou que os títulos da EMATUM eram “Loan participation notes” e a circular de oferta da EMATUM dizia expressamente que os fundos seriam utilizados para adquirir barcos, etc. e que o governo moçambicano seria o fiador.

O financiamento da EMATUM era um acordo “Reg S”: ou seja, um tipo de oferta que  é menos regulado e consequetemente fundos dos EUA não podem adquirir estes financiamentos, o que pode ocorrer, apenas, através de contas fora daquele país.

No final, a Ice Canyon adquiriu 11 milhões USD em empréstimos da EMATUM com fundos localizados fora dos EUA e Nathan Sandler (chefe da Ice Canyon e bilionário conhecido por investir em negócios em mercados emergentes) é indicado como sendo quem decidia sobre todos os investimentos.

  Leia mais em: Diário de Julgamento _ 11 dia _ FMO _ 2019 .pdf

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

More to explorer

Scroll to Top